Segundo debate dos candidatos à Prefeitura teve como tema a educação em Novo Hamburgo



Os candidatos à Prefeitura voltaram a falar sobre os seus planos de governo para o município, em debate promovido pelo Sindicato dos Professores de Novo Hamburgo (SindProNH), na noite da última quinta-feira, 8.


Mais uma vez, a progressista Patricia Beck pôde apresentar para a comunidade hamburguense o seu compromisso de construir uma cidade de respeito, que vai iniciar pela educação pública, que foi o tema central do debate do SindProfNH, como tradicionalmente ocorre durante as campanhas eleitorais.


Durante a primeira rodada, de apresentações, Patricia destacou que tem o propósito de fazer de Novo Hamburgo uma cidade exemplo de desenvolvimento humano e sustentável. “Precisamos colocar o município de volta no mapa do Brasil, como uma das melhores cidades para se viver e isso passa pela educação”, destacou.


A primeira pergunta sorteada no debate foi encaminhada por professores da rede municipal. Nela, a candidata foi questionada a respeito de sua posição frente às dívidas da Prefeitura com o Ipasem. Patricia respondeu que falar deste problema olhando para o passado, não resolverá os problemas do futuro.


Segundo a candidata, desde o primeiro dia de trabalho à frente da Administração Municipal ela irá começar a olhar o caixa, para poder honrar o pagamento mensal. “Assim a gente ganha um fôlego para o Ipasem que hoje tem apenas 16 meses de vida. Precisamos compreender que é urgente a Prefeitura começar a repassar a sua parte patronal e a parte assistencial, pois não se pode mais empurrar com a barriga e falar em reparcelamento”, afirmou.


Em paralelo a isso, será montada uma comissão, com pessoas técnicas e funcionários públicos municipais, para estudar todo esse endividamento e a solução para acabar de vez com essa situação que tanto tira o sono dos funcionários aposentados de Novo Hamburgo. Além disso, uma outra comissão será formada para apurar as negligências da atual gestão.


Patricia destacou que todos os funcionários merecem estar envolvidos neste diálogo. “É a sua aposentadoria e o seu futuro que está em jogo. Ipasem não é olhando para o passado, mas trabalhando no presente para resolver o problema para o futuro”, disse a candidata.


A segunda pergunta do debate foi voltada à suspensão das aulas presenciais, que faz ser necessário pensar no ano letivo de 2021. Desta forma, foi solicitada a posição de Patricia frente às políticas públicas para viabilizar o acesso dos estudantes e professores à tecnologia necessária para as atividades não-presenciais.


A progressista destacou que uma das coisas que a pandemia proporcionou, foi poder trabalhar com equipes técnicas na construção do plano de governo. “O ensino híbrido veio para ficar e independentemente de voltar para a sala de aula ou não, ele estará presente na nossa educação a partir de 2021”, afirmou Patricia.


O terceiro tema foi a educação infantil e Patricia falou sobre o grande impacto que a categoria sofreu em 2018, com o término do turno integral para muitas famílias. “Nós passamos a interagir com estas famílias e também com muitos professores, que também veem um prejuízo a essas crianças. Além do educar, o cuidar e o brincar, precisamos pensar na transição dessa criança para o ensino fundamental, para que ela consiga ser melhor alfabetizada”, destacou.


A candidata também explicou que irá ampliar os horários que as crianças poderão ficar nas instituições. “Com os grandes mestres que temos na rede municipal, vamos treinar os estagiários para que eles possam estar aptos a receber estas crianças mais cedo e também entregar aos pais mais tarde. Também teremos transparência para mostrar aos pais quem está recebendo estas vagas”, disse Patricia.


A quarta rodada do debate explorou como tema a reforma da previdência, que proporciona mudanças opcionais para professores no âmbito municipal, e também a reforma administrativa. “A chamada a PEC da reforma administrativa foi protocolada no congresso neste ano. Ela tem, entre alterações na constituição e novas proposições, mais de 100 propostas. É um debate que nem iniciou ainda em função da pandemia”, esclareceu Patricia.


Porém, a progressista explicou que vai aprofundar o debate junto aos funcionários, mas em seu plano de governo está o compromisso de propor uma reforma administrativa municipal. “Sabemos que o que acontece no governo federal impacta no município e o prefeito tem que ter coragem de encarar estas questões, conversando muito francamente e claramente com seus servidores”, declarou.


A reforma proposta por Patricia prevê uma redução de 50% nos cargos de confiança, para poder trabalhar mais com o servidor concursado. “Vamos trabalhar de forma integrada, cotidianamente com o servidor público. Eu não vou ser uma prefeita de gabinete. Eu vou passar de andar em andar, conversando com estes profissionais para melhor servirmos a nossa comunidade. Precisamos inverter a lógica de que o servidor trabalha para a Prefeitura, pois é a Prefeitura que trabalha para a população”.


O quinto tema debatido pelos candidatos foi a readequação do plano de carreira dos professores. Foram questionadas as propostas para valorização do magistério e o combate às desigualdades do atual plano de carreira.


“Em nosso plano de carreira, o primeiro item fala da valorização dos profissionais da educação. O município precisa retomar o diálogo para conseguir reestruturar este plano de carreira. Além disso vamos manter as reuniões pedagógicas e procurar institutos e universidades parceiros para trabalhar na qualificação dos nossos profissionais”, destacou Patricia.


A candidata também falou que vai proporcionar a formação continuada dos professores, equipes diretivas, os secretários, estagiários e profissionais em geral, aproveitando todo o conhecimento que existe dentro da rede. “Não precisamos contratar palestras caríssimas de fora, sendo que temos excelentes professores e professoras premiados, dentro da rede de ensino municipal. É desta forma, com integração da rede, que vamos formar e aprimorar nossos profissionais”.


O sexto assunto debatido pelos candidatos tratou dos índices recentemente divulgados pelo Ideb. Patricia explicou que melhorar estes números é a sua meta e está no plano de governo. “Vamos fazer isso com um plano de educação real e que está vinculado às metodologias ativas, com uma visão holística e inclusiva. A educação está dentro do eixo de desenvolvimento humano número um, porque nós entendemos que é através da educação que a gente vai mudar a realidade desta cidade”.


O debate foi finalizado com a conclusão dos candidatos, onde Patricia explicou que a educação será sua prioridade à frente da Prefeitura. “Muitas pessoas diziam que eu seria uma candidata muito voltada para a saúde, mas eu entendi que precisamos, de fato, iniciar pela educação. Ela é a base da nossa cidade, que vai fazer com que nós, cidadãos hamburguenses, voltemos a nos orgulhar de bater no peito e dizer que somos daqui”, finalizou.


Você pode conferir o debate clicando aqui. Não se esqueça de deixar seu apoio à candidatura de Patricia Beck, para construirmos juntos uma cidade de respeito.


12 visualizações
rodape-fundo-azul.jpg

Fale com a gente pelo WhatsApp:

51 99844.0762

  • YouTube
  • Branco Facebook Ícone
  • Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn

Endereço do Comitê:
Av. Pedro Adams Filho, 3303
Novo Hamburgo - RS

Patricia Beck 2020 - Feito com carinho pela equipe da próxima prefeita de Novo Hamburgo.

Eleições 2020 - PATRICIA TAINE BECK PREFEITA | CNPJ: 39.141.264/0001-09

© 2020 por Patricia Beck.